desabafos,

procura-se vulneráveis (ou meramente humanos)


eu não sei você, mas eu peguei uma fase em que as pessoas demonstravam o que sentiam.

era normal, sabe? mesmo que não fosse recíproco, era ok você gostar de uma pessoa sem ser correspondido. você podia até ser zuado, ficar com raiva e tal, mas ninguém tinha vergonha de sentir.

não tinha nenhum problema você gostar de uma pessoa por vários anos e nesse meio tempo sentir dor, raiva, mágoa e, é claro, felicidade, paixão e loucura. hoje quem sente demais é infantil, não sabe lidar com as emoções.

ninguém deixou de sentir, mas todo mundo começou a se mascarar. porque ser intenso é feio, incomoda, perturba o ambiente.

nessa busca incessante pelo desapego, fomos nos tornando pessoas extremamente monótonas. se eu não tenho apego, nada nem ninguém mais vale tanto, eu posso "deixa fluir".

e aí a gente vai deixando tudo rolar como @deus quer e não se esforça por coisa alguma. é proibido demonstrar que quer muito uma coisa porque significa que você tá muito afetado. então, ou você se afeta escondido, ou nem faz a coisa pra não correr o risco de ser julgado.

e o que eu quero dizer com tudo isso é que tá chato. eu tô de saco cheio. tô cansada dessa pacificidade o tempo todo, de um monte de gente que fica em cima do muro e posa de equilibrado. desse povo que tem vergonha de sentir, de dizer o que quer, como quer, de declarar que gosta, que sente falta, que quer ver, fazer e acontecer.

e, principalmente, cansada de me privar de ser intensa pra não destoar. eu gosto de quem se mostra, se posiciona, diz a que veio, não se constrange em ser vulnerável! então por quê irei limitar isso em mim? não tem o menor sentido.

tenho saudades de pessoas dispostas, que se empolgavam pra ir num lugar só por uma boa  conversa jogada fora com você. hoje eu só vejo pessoas jogarem na sua cara o quanto elas sempre tem coisas melhores pra fazer (netflix, cof cof) do que estar/falar contigo.

é toda uma disputa sobre quem é mais autossuficiente e superficial, que faz pena.

eu ainda fico com a minha inconveniente dose de intensidade.

sarita bruta





1 Comentários:

amor,

voz que ecoa


voz é uma coisa interessante
pode ser melodia
ou extremamente irritante

pode ser paz
ou pode ser guerra

pode ser autêntica
ou só encenação

transmite conhecimento
ou cospe informação

é amor
ou terror

um timbre gostoso
ou um agudo ensurdecedor

voz marca
na pele
ou na alma

sarita bruta





0 Comentários:

amor,

pensamos que gostamos


a nossa mente
nos confunde
de muitas formas

pensamos que
gostamos de alguém
e gostamos
só que
não daquela forma
que achamos

pra saber
de quem desejamos
temos que lembrar
quem sempre aparece
nos nossos sonhos

quando estamos acordados

sarita bruta





0 Comentários:

desabafos,

chamam de sonhos


ah, o medo, ele sempre continua.
espantá-lo é tão difícil quanto deixar de ser trouxa.
me convenço que estou fazendo a melhor escolha, quando, na verdade, estou apenas optando pelo mais palpável.
mas o que está ao meu alcance é indigesto. em vez de borboletas no estômago, provoca ânsia de vômito.
por que então sigo nesse caminho?
penso ser por que não vejo pra onde caminhar, senão por onde já caminho.
eu tenho outros sonhos, sabe? mas talvez os sonhos foram feitos para ficar só no pensamento, senão não se chamariam sonhos.

sarita bruta





0 Comentários:

desenvolvimento pessoal,

ame sua sombra


passamos a vida toda nos escondendo da nossa sombra, sem saber que quanto mais a aceitamos, mais fácil dela não nos atrapalhar.

vamos fingindo que ela não existe, tentando ser perfeitos. nunca mostramos ela pra quem nós amamos, pra não corrermos o risco da pessoa não nos amar mais.

ninguém pode saber do que se passa aqui dentro. é dark, é pesado, não queremos que ninguém se assuste. e nessa, vamos brincando de ser pessoas que estão sempre bem, mas que estão sempre mal.

porque se esforçar tanto pra não ter nenhum defeito dói. é um objetivo inalcançável. achar que tem que se moldar a alguém pra que ele te ame é uma arma apontada pra si com o gatilho frouxo, a qualquer momento pode disparar.

nossa sombra faz parte de nós, não adianta guardá-la debaixo do tapete. ela vai surgir, eventualmente, e só saberemos lidar com a mesma se tivermos dado espaço pra lhe ver, conhecer e amar.

sarita bruta





0 Comentários:

amor,

não é porque é amor que tem que ficar



é amor, eu sei, eu acredito.
você fez pro meu bem, ok.
mas eu não tô bem, sabe?
esse seu amor, ele é demais pra mim.
ou de menos, não sei.

o que eu sei, é que apesar de acreditar em tudo que você sente, não tá legal.
a sua energia me suga. a sua expectativa me paralisa.
a gente pode se dar bem, entenda. mas desde de que estejamos um bem longe do outro.
nesse espaço inerente não tá cabendo mais nós dois.
eu não sei se você percebe isso, mas o ar anda até meio rarefeito por aqui. eu não respiro direito faz um bom tempo. e acho que você também.
como eu sei que você nunca irá me libertar voluntariamente, tenho que arquitetar um jeito inteligente de destruir essas grades. murros e pontapés não foram suficientes.
a hipótese mais provável é que nem barreira exista, a não ser o medo de ficar sozinho.

sarita bruta





0 Comentários:

questione,

o que é verdade?


essa é a pergunta do dia 14 de março do livro "uma pergunta por dia".

subitamente me veio a mente as respostas "nada", "não existe verdade", "nenhuma verdade é absoluta".

mas depois refleti sobre a verdade que eu via a minha frente: minha mesa de mapa-múndi, meu notebook, minhas canetas, meu copo brinde do leite ninho. e a minha própria existência é verdadeira, creio eu.

e esse "crer" que transforma um fato, um sentimento, um pensamento, em verdade.

para os céticos, a verdade está apenas ao alcance dos olhos. para o crédulo, existe veracidade até no sobrenatural.

então, a minha verdade é que a verdade existe. e ela se conjura no plural: verdades.

nós criamos as verdades e inverdades. somos poderosos, podemos até trocar de verdade pra inverdade e vice-versa.

pena que não dá pra responder em 4 linhas, que é o espaço do livro. então vou resumir nisso:

"o que é a verdade senão a ferramenta que criamos a favor e contra nós?"

acho que é o suficiente para incitar a reflexão do próximo ano.

sarita bruta





0 Comentários:

áries,

áries


questionador
revolucionário
arruaceiro

intenso
impulsivo
avassalador

sincero
verdadeiro
autêntico

direto
objetivo
prático

paixão
fogo
incêndio

com fogo compete
com ar resplandece
com água dissipa
com terra dissemina

sarita bruta





0 Comentários:

feminismo,

sou rainha


nunca tive vocação pra ser princesa. provavelmente porque não vi nenhum príncipe resgatar minha mãe quando ela mais precisou.

nunca gostei de shopping, nem de passar horas falando de sapatos e maquiagem. nunca achei certo que nenhum homem tivesse que pagar pela minha presença. ser esposa e mãe dos filhos de alguém nunca foi o principal sonho da minha vida. nunca me identifiquei com as personagens de piadinha machista.

eu até tentei me adequar algumas vezes a essas situações mas nunca foi pra frente.

e acreditem, muitas pessoas diziam que nem mulher eu era por pensar assim.

então, ser feminista é imprescindível pra mim. é a forma que eu tenho de dizer que eu tenho o direito de ser a mulher que eu quiser. e que eu devo ser respeitada por isso.

certa vez uma pessoa muito especial me disse que eu era uma rainha e não uma princesa. e desde esse dia eu assumi o meu reino e nunca mais precisei me adequar a nenhum príncipe ou monarquia.

sarita bruta





0 Comentários:

amor,

memórias, apenas



e eu que me esquecia que os pássaros eram livres
que as raízes cresciam
que as águas se moviam
que as flores encantavam
que teus risos me emocionavam
mas agora tudo mudou
não vejo mais pássaros, livres, voando
nem tua boca me falando
o que eu sempre gostei de ouvir
que as rosas que tu recebias de mim
eram as coisas mais belas
e o belo se fez feio
o tempo não foi nosso amigo






0 Comentários:

desenvolvimento pessoal,

quase uma geminiana


dizem que geminianos têm dupla personalidade, né? pois bem, deve ser o meu ascendente em gêmeos que explica essa bipolaridade existente em mim, então.

eu tenho um lado ambiciosa de ser, uma vontade de ser bem sucedida, ter sucesso profissional e financeiro, viver uma vida confortável. nessa personalidade eu sou autoconfiante, eu sei que tenho capacidade e potencial para ser quem eu quiser. e eu sou, eu ajo para ser. iniciativa é o meu nome. organização, planejamento, perspicácia, criatividade, responsabilidade, determinação, são algumas das minhas grandes características a favor do perfil um.

só que quando eu tô sendo essa pessoa cheia de energia mental, vem a minha personalidade dois me perguntar "a que custo?". esse perfil é questionador, emocional, com uma sensibilidade extremamente apurada. ele nunca tá satisfeito. meu eu hippie não entende para que tanta ganância, ele tem horror ao capitalismo, se importa muito com o social. ele odeia a sociedade líquida. essa sou eu achando que tá tudo ao contrário e me perguntando o tempo inteiro o que é que essa raça de ser humano sujo veio fazer aqui.

a personalidade um e dois vivem em guerra. uma maltrata a outra de formas cruéis e a vítima sou eu.

no meio desse tiroteio, era difícil perceber o que estava acontecendo, era bala pra todo lado, eu só ficava abaixada esperando que passasse. mas todos nós sabemos que a vida nunca vai parar de atirar. um dia tive que levantar e aprender a esquivar dos disparos. por vezes, tive que contar com a ajuda de outras pessoas pra retirar os que já tinham me perfurado.

nesse embate, finalmente comecei a me desenvolver no longo caminho que é o do autoconhecimento. a vida não ficou mais fácil, mas o meu jeito de entender como me encaixar nela tem ficado muito mais leve. descobrir essas duas personalidades tão latentes e antagônicas era um dos primeiros passos para me libertar.

nessa jornada, conheci diversos mentores maravilhosos, em destaque, paulo vieira e ricardo melo. com eles eu descobri que nem o perfil um, nem o perfil dois são de todo ruins, que eu precisava apenas equilibrá-los e tirar o melhor proveito de cada um deles.

eu aprendi que você pode ser bem sucedido e ser uma pessoa de bom coração ao mesmo tempo. falando assim parece até óbvio, mas para as personalidades radicais que viviam dentro de mim era difícil visualizar isso.

como eu disse anteriormente, a vida não ficou mais fácil, mas cada dia que passa eu entendo como me encaixar melhor nela.

sarita bruta





0 Comentários: