desenvolvimento pessoal,

vem comigo

quinta-feira, novembro 08, 2018 sarita bruta 0 Comments


cada vez mais eu me convenço que a gente emprega mais força do que é necessário na vida. tornarmos nossas vontades taxativas e exigimos que o universo explique tudo que sentimos.
moldamos nossas intuições em utilitarismo porque a obsessão pela objetificação atinge até o inatingível. queremos resultados a olho nu.
o que não entendemos é que tudo que sentimos não pode nem deve ser o destino final. se fosse, morreríamos. muitas coisas do que fazemos tratam-se apenas de pontos no caminho que percorremos. não se sabe o que é de curto ou longo prazo.
e, opa, não é você que controla o que fica ou não. eventos naturais ocorrem o tempo todo e te desviam ou te fazem permanecer naquele determinado lugar.
então não adianta forçar a barra se não tá fluindo. às vezes ali já deu o que tinha que dar. sua alma tá gritando que você não deve fazer e você vai lá e faz. seu corpo berra que não quer permanecer ali e você fica.
se respeite.
e respeite os sinais.
se é ou não é pra você, você vai saber, você vai sentir. não adianta ficar inventando desafio do impossível.
o impossível é bonito nos filmes e nos quadrinhos de super heróis.
aqui é vida real, aqui tem que cuidar da saúde mental, aqui você tem a opção de escolher ser feliz.
então, me diz, por que ficar colocando cabelo em ovo, fazendo tempestade em copo d'água e procurando sarna pra se coçar?
não coloca o peso da sua felicidade em cima de uma coisa só. divide.
o sorriso vem das pequenas coisas, da leveza da aceitação e da gratidão de saber que sua existência não é em vão.
vamo deixar fluir mais e aguardar com carinho o que está por vir?
vamo parar de pesar tanto as escolhas e exigir tanto da vida?
vem comigo.

sarita bruta






0 Comentários: