empatia,

alguém tem que ficar bem

quinta-feira, novembro 29, 2018 sarita bruta 0 Comments


se me perguntarem se o mundo está bem, eu digo que não. mas se me perguntarem se eu estou bem, eu estou sim. por que eu deveria arrastar a podridão humana do mundo pra minha vida? pra que isso serve de fato?

eu me estresso, me revolto, me recuso a ser passiva. mas sigo minha vida tentando fazer na prática algo que realmente seja válido. não adianta eu reclamar e gritar quando ninguém me ouve. posso representar papéis muito mais importantes calada ou fazendo algo mais sutil.
  
existe um momento que a gente tem que aprender a separar o que está dentro e fora da nossa esfera. isso não significa que devemos viver dentro de uma bolha só nossa. jamais! isso quer dizer que a gente entende o que acontece no universo mas que somos apenas um humano incapaz de carregar todas as responsabilidades por dele.
  
além disso, apesar da imensa vontade de vomitar diante de fatos cada vez mais grotescos ao nosso redor e de temer pela própria vida, não adianta muito usar estratégias que pouco convencem, apesar de ajudar no desabafo. percebo que, assim como o que há de ruim se propaga, o bem também deve ser espalhado de forma sutil, em pequenas doses de educação e cultura.
  
mas o mais importante de tudo isso é que eu tenho que estar bem. por mim, obviamente. mas também porque eu não vou conseguir fazer absolutamente nada útil estando mal. cair no fundo do poço é muito fácil. não faltam motivos pra te levar pra lá. mas a gente tem que se segurar aqui na borda, porque é a única chance de salvar quem tá lá dentro.

sarita bruta

📷 ≫ pinterest





0 Comentários: