feminismo,

sobrevivendo ao patriarcado

domingo, outubro 14, 2018 Brutamor 0 Comments


eu quero, eu preciso, eu honro o feminismo. quero votar, quero ser livre, quero ganhar salário igual, não quero ser estuprada, não quero ser assassinada por ciúmes ou por quem não aceitou o término. não quero ser encochada no buzu, não quero ser incompetente por ser mulher, ser burra por ser mulher, não quero ser obrigada a usar maquiagem e me depilar, enquanto no lado oposto não ocorre o mesmo esforço. não quero usar um sutiã opressor porque os homens não sabem conter o seu desejo por um farol aceso. não quero que me digam o que vestir, não quero ter até meu tornozelo sexualizado, não quero ser tratada como objeto de satisfação, não quero ter minha boca calada porque minha opinião vale menos. não vou pra cozinha enquanto você toma sua cerveja e assiste seu futebol, não sou empregada de macho, não sou recatada, não sou do lar, não quero q paguem jantares pra mim por obrigação social. meu objetivo de vida não é necessariamente casar e ter filhos. eu não serei frustrada se não realizar esses "sonhos de princesa". não quero ter medo de passar por um grupo de homens, quero andar na rua sem ouvir "cantadas" nojentas e ter que aguentar olhares de dar ânsia de vômito. não quero pegar uber e ficar tensa o caminho todo pensando o que o motorista é capaz de fazer comigo. eu não odeio homens por ser feminista, eu só não aceito ser inferiorizada e abusada por eles e pelo machismo, nem quero ter que viver com medo deles.
isso é tudo que eu estou lembrando agora, mas tem mais, muito mais.
as mulheres não são ensinadas, elas são doutrinadas. se desconstruir dói. mas eu prefiro a dor à ilusão.
e pra quem acha que é mimimi e vitimismo, desejo mais amor e empatia pra você.

sarita bruta





0 Comentários: