questione,

pimenta no dos outros...

domingo, outubro 14, 2018 Brutamor 0 Comments


um rapaz disse:

"século do ódio:
negros odeiam brancos
mulheres odeiam homens
homossexuais odeiam heteros
pobres odeiam ricos
ódio odeia a felicidade
as pessoas que queriam igualdade,
amor e respeito estão cultivando ódio."

uma moça respondeu:

"ódio seria se os negros pegassem os brancos, separassem de suas famílias, destruíssem suas organizações sociais, proibissem a religião deles, estuprassem as mulheres brancas, vendessem e escravizassem brancos por 350 anos de tortura e açoites, e depois jogassem eles em favelas.
ódio seria se as mulheres matassem os homens por possessividade e vingança como eles fazem, se estuprassem os homens e depois chamassem de vagabundos, que fossem demitidos depois de ter filhos e que depois dos 30 fossem trocados por um novinho por serem descartáveis.
também seria ódio se os homossexuais criassem leis e instituições para proibir e criminalizar a heterossexualidade, se ensinassem às crianças que heterossexuais são nojentos, se expulsassem os filhos heterossexuais de casa, se não aceitassem seus relacionamentos, se tivesse estupro corretivo e espancamentos.
seria ódio se os pobres se aproveitassem do desespero dos ricos para enriquecer em cima deles, se tivessem lobby no congresso para aprovar leis que prejudicam os ricos, se impedissem eles de mudar de vida, se deixassem eles passando fome, cortasse água e luz pra saberem como é.
e se todos esses tivessem o apoio do estado, da mídia, respaldo legal para perpetuar injustiças e ainda culpas as vítimas e exigir amor diante da violência sofrida, se mesmo errados fossem acobertados pelo poder judiciário e vivessem normalmente destruindo a vida dos outros.
mas nada disso acontece, por isso esse seu texto não faz sentido nenhum, século de ódio era quando essas desgraças passavam despercebidas. eles deveriam agradecer que nós não queremos vingança, queremos apenas justiça."

bradar nem sempre é ódio, às vezes é só resistência. já ficar em silêncio diante da opressão eu tenho certeza que coisa boa não é.

esse texto é um tapa na cara de quem diz que preconceito não existe, que movimentos sociais são mimimi, que as classes menos favorecidas só querem chamar atenção. será que é tão difícil assim ter empatia com as minorias qualitativas?

por mais pisões dessa moça.

fonte do texto da moça: twitter @meninasams

sarita bruta






0 Comentários: