amor,

faz tempo que não vejo você

sábado, julho 21, 2018 sarita bruta 0 Comments


o conheci no momento mais improvável para se apaixonar. recém solteira, com uma enorme vontade e necessidade de ficar sozinha. eu só queria me reencontrar e curtir um momento totalmente livre.

conhecer pessoas novas sem nenhuma pretensão, viver momentos, experiências e no final, voltar pro meu mundo. era só isso que eu queria.

no meio desse caminho instalei o tinder. nunca tinha usado na vida. não tem nada a ver comigo escolher pessoas por foto porque são coisas como modo de andar, falar, se expressar, as ideias e outras coisas que mais me atraem. outro problema é ter que dar like em mais de uma pessoa, logo eu que sou de encarnar em um só.

mas ok. estava tentando ser aberta e experimentar. conheci umas pessoas mas acabei só saindo com um que já conhecia na vida real. não foi bom.

em duas semanas já tinha enchido o saco desse cardápio humano mas eis que um menino meio sério e com papos mais relevantes queria sair comigo num local e horário bem conveniente pra mim. prometi que seria o último. desinstalei o aplicativo antes mesmo de vê-lo.

e pior que foi o último mesmo, emocionalmente falando. não dei nada de início, até porque ele começou a me contar a vida toda dele sem parar quando nos conhecemos. pensei: nossa, que cara pirado, mano. esperava ele respirar um pouco pra tentar fugir daquilo mas, felizmente (ou não), ele segurou o oxigênio o suficiente pra me explicar que só tava nervoso.

nem eu entendo como o cenário mudou tão rápido. inicialmente, nem bateu aquela vontade e, de repente, eu achava a melhor química do mundo. mesmo assim eu não queria me envolver, nem tomar muito do meu tempo com isso.

mas quem disse que eu tinha escolha? sinto como se ele tivesse me invadido. e como se eu gostasse dessa invasão. em pouco tempo, já tava tudo misturado, família, amigos, cachorro, programas,  cobranças, viagens, planos, brigas, confissões internas, favores, defeitos desmascarados...

uma aventura intensa que não pedi, que não estava preparada pra viver mas que nunca poderia recusar porque eu estava completamente apaixonada por ele. mas essas coisas são de momento e passam.

passam pra quem? e por que iria passar? só porque foi intenso e rápido, não significa que não exista um sentimento verdadeiro. pra mim não foi só paixão, físico ou qualquer coisa que chamem. foi muito mais e ainda dura.

ele não é nenhum suprassumo mas eu simplesmente gostei do pacote. quero levar pra casa. e daí que outras pessoas são mais bonitas, mais isso ou aquilo, se foi dele que eu gostei meu deus do céu.

e quando acabou, me forcei a parar de gostar. mas não deu muito certo, sabe? resolvi parar de lutar contra isso. hoje apenas aceito o sentimento e espero que um dia passe. sendo assim, finalmente consegui viver minha liberdade e me reencontrar.

ao som de: gaúcha - lupe de lupe

sarita bruta





0 Comentários: