amor,

dói eu não me escolher

sexta-feira, junho 29, 2018 Brutamor 0 Comments


essa é uma carta de desculpas.

desculpa por eu ser assim tão fora do tom. ainda não aprendi direito a viver nesse mundo com tantas regras e preconceitos.

costumo seguir meu coração, minha intuição, mas sei que essa geralmente não é uma boa escolha, então acabo me comportando com esse tipo de autenticidade medrosa.

tento conter esse meu jeitinho dramático de ser, mas às vezes perco o controle. romanceio e jogo contra a parede. não sei se nesse momento você acha que estou completamente apaixonada por você ou se quer apenas se ver bem longe de mim pelas minhas grosserias. fato é que: depois do ataque, nem eu entendo como as coisas chegaram nesse ponto, já que, nem foi possível amar você.

coisa de ego. eu odeio que as pessoas entrem na minha vida e escolham sair. porque novamente eu penso que nasci defeituosa. e eu não quero pensar nisso de novo. é que dói, sabe? não dói você não me escolher. dói eu não me escolher.

primeiro que se eu me amasse eu nem entraria nisso tudo. por migalhas... quem gosta de si não se submete a esse tipo de papel. muito menos deixaria rolar a esse ponto, pra me sentir mais rejeitada ainda. por que eu mesma escolheria me colocar pra baixo? não faz sentido algum.

por algum motivo eu ainda não me convenço de que sou inteira. não inteira de não precisar de ninguém. mas inteira de perceber o meu valor em tantos aspectos. inteira de saber até onde ir e até onde o outro pode entrar. inteira.

acho que nos expressamos errado. queríamos tanto que nos excedemos. demonstramos coisas que eram mais vontade do que sentimento de verdade. somos culpados. culpados por não sermos robôs.

você tinha chances comigo, sabe, mas não era a sua melhor chance, eu entendo. ato falho. voltarei do início onde eu ainda permitia que as coisas fluíssem, acho que foi um pouco antes de eu dizer que tinha uma coisa pra te falar. recomeçarei daí, não com você, mas comigo.

sarita bruta





0 Comentários: