Recentes

Últimas postagens

vamos parar de falar mal das pessoas?


No meio onde eu cresci, falar mal das pessoas é um hábito. E basta ampliar um pouco os horizontes pra perceber que nas mídias o que rende também são as críticas e não os elogios. Nós nos tornarmos verdadeiros alvos e, ao mesmo tempo, os próprios atiradores. Tudo depende da lucratividade de ego do momento, pra decidir em que lado vamos estar.

Falar mal das pessoas se tornou um entretenimento. Em certos sites de notícias não é nem preciso que se tenha essa categoria, já que praticamente todos os textos das páginas incluem a detonação de seres humanos. Isso quer dizer que eu ache que o mundo é coberto de flores e que o povo não cometa mal algum? Jamais! O problema é quando a gente entope de coisa ruim o olhar sobre o outro - e até sobre si - e literalmente esquece que somos capazes de realizar muitas ações boas.

A gente desaprende sobre a existência do bem e nos tornarmos pessoas extremamente pessimistas e negativas. Se tudo que a gente lê e ouve é tão desagradável, fica difícil ter alguma fé no mundo. Parece que todo esse mal é a única realidade que existe. Vemos através de um véu, que ignora a perspectiva positiva da vida.

O bom e o ruim é que nós mesmos podemos mudar essa situação. Ruim porque teremos muito trabalho pra limpar as lentes nocivas construídas por longos anos em nós. Isso demanda esforço e, como podemos perceber, nem todo mundo está disposto a se empenhar nisso. Mas é bom, porque tem muita gente propensa a parar de falar mal das pessoas, como você que está lendo isso agora.

Eu já falei aqui sobre 4 sites pra saber notícias do bem. Mas a sua boca e a de cada um de nós é a maior propagadora de informações do universo. Sem a nossa fala, seja oral ou escrita, não existe comunicação. Ou seja, nós somos os maiores responsáveis por espalhar o que tem de bom aqui. Podemos nos encarregar de mostrar o bem que está dentro de cada pessoa e utilizar isso como uma arma poderosa disparando possibilidades de esperança.

Faça o bem, fale o bem, pense o bem.
Perceba que cada ser que encontramos é um ser iluminado, disfarçado a nos mostrar o caminho.
Alguns nos mostram como não devemos ser.
Outros como devemos ser.
Monja Coen

sarita bruta

📷 ≫ allikdesign




me apaixonei por um humano


sua pupila, pra onde ela se mexe? que cor seu cabelo faz quando o sol bate nele? que som faz a sua respiração quando fica alegre? sua bunda rebola quando anda? sua pele vibra quando fica nervoso? seus dedos são gordinhos? sua expressão é de durão? você se derrete quando vê crianças? sua fala é mansa? ou incisiva? você faz barulho de porco quando ri? seu rosto se enruga todo quando está preocupado? seus olhos brilham quando falam da sua mãe? o que te acalma? o que te faz esquecer do mundo? você ri de qualquer besteira? você conta histórias até eu cansar? você tem gostos inusitados? eu te deixo confortável? seus pés se mexem a procura dos meus? você me elogia até eu corar? você se arrepia quando eu respiro em sua nuca? você consegue ser sincero comigo? como você olha pra mim? você me admira de verdade? como você controla tudo isso que você sente por mim? você me protege inerentemente? você chora quando pensa em ficar longe de mim?

nada disso é critério de escolha, mas isso é humano, isso é vida, isso é você e isso que motiva, que cativa, que apaixona. nenhuma foto, descrição ou oi sumida vão me dar isso.

sarita bruta

📷 ≫ pinterest






10 coisas que não entendo no tinder


Antes de tudo, gostaria de esclarecer que no Tinder a gente escolhe as pessoas pela imagem. 99% das pessoas não tem descrição, tem gente que não diz nem a profissão e, às vezes, até o nome é fake. Ou seja, sem fotos legais (ou sem fotos mesmo), não há match plausível.

Confesso que esses apps não são o meu modo preferido de conhecer pessoas, mas, como eu trabalho em casa, é uma ótima oportunidade de expandir meu círculo social.

E nessa de usar Tinder, vi muitas situações inusitadas, inclusive, já morri de rir com algumas, mas o cerne da questão é que existe uma enorme sabotagem paquerativa que realmente me intriga e questiono se essas pessoas realmente querem ficar com alguém.

Conversando com algumas amigas, vejo a mesma impressão e, por isso, resolvi fazer uma lista colaborativa das coisas que não entendemos nos usuários do Tinder e aplicativos de paquera em geral.


Vamos lá:


1 – Pessoas que respondem em doses homeopáticas: Você começa a conversar com a pessoa e ela demora tanto pra responder que você até esquece o que vocês estavam conversando, perde até a graça.


2 – Instagram fechado: Tem pessoas que não aguentam esperar o like e vão te procurar nas redes sociais. Ok, mas como eu vou corresponder sem ver absolutamente nenhuma foto sua? Difícil, né?


3 – Pessoas com apenas uma foto ou fotos de longe: Como eu vou dar like no que eu não estou vendo direito? Não sei você, mas eu não arrisco.

4 – Fotos só de óculos escuros ou boné: Não importa se você acha seu olho estranho ou sua careca feia, eventualmente iremos descobrir. Se mostrem como são, quem gostar tem que ser pela sua real beleza.


5 – Fotos com animais dopados: Broxo na hora.


6 –  Meninos disk sexo: “Oi, tudo bem? Quando podemos nos ver?” Posso estar sendo antiquada mas, acredito que até pra transar tem que ter um pouco de conversa antes, né?


7 – Foto de jaleco ou num carrão: Sua profissão ou seu dinheiro não vão te deixar mais interessante, meu bem. E se tiver alguém que te ache mais bonito por isso, realmente vale a pena?


8 – Não é meu filho: Melhor não colocar foto com criança do que colocar com essa legenda, né?


9 – Emoji e qual o seu whatsapp: Apesar de não parecer, o número do nosso celular ainda é algo pessoal então espera pelo menos engatar a conversa pra pedir!

10 – Homem bomba: Músculos e mais músculos. Será que agora dá pra eu ver seu rosto?

Esses foram os destaques, mas quem usa o aplicativo, sabe das loucuras que se encontram por lá. Talvez seja apenas uma tentativa falha de preencher o ego e não de realmente marcar um encontro amoroso. Confesso que, com aproximadamente um ano de uso inconstante, perdi a paciência.

No meio dos exóticos, conheci algumas pessoas legais, reconheço. Mas chega um momento que você cansa de conversar com tantas pessoas que você nem tá tão afim. Você começa a se questionar o quanto imagens e papos como todos os outros são capazes de te motivar. Você perde o feeling, sabe?

Acredito que, sim, casais que se conheceram no tinder podem dar muito certo e torço por isso. Mas meu dedinho já cansou de procurar por lá e o cérebro já bugou de tanto oi tudo bem. Estou fora do tinder indeterminadamente e fechada para abordagens virtuais. Quero conhecer gente no mundo real, por ora.

sarita bruta

📷 ≫ Michael Buckner/Getty Images for Glamour




doce ilusão ou amarga realidade?


a vida tem sido doce pra mim. talvez não dos mais gostosos, mas no final de tudo é doce. e por incrível que pareça, eu diria que isso não é bom. porque o doce, como vocês sabem, ele satisfaz um desejo mas no fundo faz mal a saúde.

vivo cercada pela falsa sensação de estar em um determinado patamar social que não pertence a mim. e o conforto e comodismo me prendem. o doce vicia. você só quer ele. às vezes nem tá mais bom mas é costume, você consome por vício.

mas eu nunca vi ninguém conquistar objetivos genuínos e verdadeiros comendo só doce. muito pelo contrário, as mais lindas batalhas são vencidas por quem sabe engolir muita comida estragada. é sentir o gosto do amargo todo dia e saber que vai valer a pena.

a verdade é que a vida real, ela não é doce. ela não te dá alicerce, não te dá companhia, não te dá uma lista do que você tem que fazer. a gente quem cria tudo isso. e dói. muito ou pouco, dói. porque não dá pra fazer tudo isso dentro da zona de conforto. e abrir os olhos pro mundo como ele é assusta pra caramba.

machuca ficar dentro da ilusão e também machuca sair dela. a diferença é que a ilusão é um algodão doce azul, bonito por fora, mas que derrete com qualquer calor ou chuva. e sair da ilusão parece chupar limão puro, mas no final vira uma limonada com gelo e hortelã, é só degustar.

sarita bruta

📷 ≫ saint hoax





intenso quando lhe convém


é sério que você não faz mais nenhuma questão de falar comigo? de saber como eu estou e me contar como você está... é foda como as pessoas conseguem ser tão intensas e demonstrar tanto sentimento e, de repente, elas não ligam nem pra existência da gente...
  
você não sabe o quanto é difícil saber que você tá aqui e não é capaz nem de me falar um "oi". me sinto totalmente descartável.

não faça mais isso com as pessoas, cara. não diga que gosta, não faça planos, não vislumbre o futuro, se você não tem certeza do que quer! nem faça teatro só pra ter sua foda garantida. não diga o quanto ela é maravilhosa e o quanto você está apaixonado por ela. não diga que já considera que são namorados. não trate a pessoa com seriedade se você não tem intenções sérias.
  
verão vem aí. não escolha uma menina aleatória pra seu passatempo nessas férias se depois for jogar no lixo. ninguém merece passar por isso! e não venha de mimimi de que avisou que não queria namorar. tô falando de atitude, de respeito, de consideração. quem diz que tá apaixonado se comporta como tal, não abandona no momento que lhe convém.
  
como diz aquela frase "não precisa vir num cavalo branco mas também não precisa ser o cavalo".

sarita bruta

📷 ≫ giovanni morgia





alguém tem que ficar bem


se me perguntarem se o mundo está bem, eu digo que não. mas se me perguntarem se eu estou bem, eu estou sim. por que eu deveria arrastar a podridão humana do mundo pra minha vida? pra que isso serve de fato?

eu me estresso, me revolto, me recuso a ser passiva. mas sigo minha vida tentando fazer na prática algo que realmente seja válido. não adianta eu reclamar e gritar quando ninguém me ouve. posso representar papéis muito mais importantes calada ou fazendo algo mais sutil.
  
existe um momento que a gente tem que aprender a separar o que está dentro e fora da nossa esfera. isso não significa que devemos viver dentro de uma bolha só nossa. jamais! isso quer dizer que a gente entende o que acontece no universo mas que somos apenas um humano incapaz de carregar todas as responsabilidades por dele.
  
além disso, apesar da imensa vontade de vomitar diante de fatos cada vez mais grotescos ao nosso redor e de temer pela própria vida, não adianta muito usar estratégias que pouco convencem, apesar de ajudar no desabafo. percebo que, assim como o que há de ruim se propaga, o bem também deve ser espalhado de forma sutil, em pequenas doses de educação e cultura.
  
mas o mais importante de tudo isso é que eu tenho que estar bem. por mim, obviamente. mas também porque eu não vou conseguir fazer absolutamente nada útil estando mal. cair no fundo do poço é muito fácil. não faltam motivos pra te levar pra lá. mas a gente tem que se segurar aqui na borda, porque é a única chance de salvar quem tá lá dentro.

sarita bruta

📷 ≫ pinterest





mulher não é um buraco


 

me sinto como essa imagem quando um homem chupa a saliva na rua quando eu passo.

ou quando obrigatoriamente confere a minha bunda pra vê se sou gostosa o suficiente.

quando, sem a menor intenção de elogiar, solta um fiu fiu ou um "linda" (pra não dizer outras coisas) mesmo sabendo que irá me constranger.

e tenho o mesmo sentimento ao saber todos os dias os números de estupros. dentro da própria casa. dentro da própria família.

como se os homens fossem animais irracionais sedentos por um alimento.

mas deixa eu te contar, esse alimento é gente. esse alimento é sua mulher, é sua filha, é sua família, é ser humano. com autonomia, sentimentos e dores.

mulher não é máquina sexual. não é um buraco.

só nós sabemos o medo diário que enfrentamos de sermos assediadas a qualquer tempo, em qualquer lugar. ainda temos que aguentar muita coisa calada pra situação não se agravar. temos medo de morrer.

a força do homem é descomunal na sociedade. não só a física, como a moral. temos que nos impor muito ainda se quisermos ocupar um espaço de dignidade na sociedade.

é uma longa jornada, mas que, pra mim, vale toda a pena.

sarita bruta